Blog

06/02/2017 17:31 - Atualizado em 10/02/2017 14:59

Parceira da Qsoft, Azul Linhas AĆ©reas cria cultura de dados com o Tableau


Compartilhe
AviĆ£o da Azul Linhas AĆ©reas - Foto: divulgaĆ§Ć£o
AviĆ£o da Azul Linhas AĆ©reas - Foto: divulgaĆ§Ć£o

A Azul Linhas Aéreas acumula prêmios que atestam sua eficiência na difícil missão de unir qualidade e preços acessíveis. Eleita em 2015 pela quinta vez consecutiva como “Melhor companhia aérea low-cost da América do Sul” pela Skytrax World Airline Awards, a Azul passa por avanços importantes.

A parceira da Qsoft é hoje a companhia que mais cresce no País. Com mais de 100 destinos em todo o Brasil, Estados Unidos e Europa, a Azul presencia o aumento de participação de mercado, expansão da malha de destinos e frota de aviões.

Por conta disso, a empresa precisou de ajuda para alimentar uma cultura de tomada de decisão baseada em dados. Com a ajuda da Qsoft, a empresa aderiu a implementação do software Tableau, ação que hoje resulta em mais de 200 milhões de registros de dados armazenados em bancos SQL Server. Mas tudo começou com apenas sete licenças do Tableau Desktop.

A Tableau conversou com Daniel Galizi, Analista de dados e coordenador de controle de combustível da Azul e você confere abaixo:

Tableau - O que encorajou a Azul a experimentar o Tableau?

Daniel Galizi - Foi assim que a nossa história com o Tableau começou...precisávamos de algo mais rápido que produzisse resultados imediatos. Foi então que o Tableau veio nos ajudar com sua agilidade, seus resultados imediatos e sua facilidade de uso.

A Azul Linhas Aéreas acumula prêmios que atestam sua eficiência na difícil missão de unir qualidade e preços acessíveis. Eleita em 2015 pela quinta vez consecutiva como “Melhor companhia aérea low-cost da América do Sul” pela Skytrax World Airline Awards, a Azul passa por avanços importantes.

A parceira da Qsoft é hoje a companhia que mais cresce no País. Com mais de 100 destinos em todo o Brasil, Estados Unidos e Europa, a Azul presencia o aumento de participação de mercado, expansão da malha de destinos e frota de aviões.

Por conta disso, a empresa precisou de ajuda para alimentar uma cultura de tomada de decisão baseada em dados. Com a ajuda da Qsoft, a empresa aderiu a implementação do software Tableau, ação que hoje resulta em mais de 200 milhões de registros de dados armazenados em bancos SQL Server. Mas tudo começou com apenas sete licenças do Tableau Desktop.

A Tableau conversou com Daniel Galizi, Analista de dados e coordenador de controle de combustível da Azul e você confere abaixo:

Tableau - O que encorajou a Azul a experimentar o Tableau?

Daniel Galizi - Foi assim que a nossa história com o Tableau começou...precisávamos de algo mais rápido que produzisse resultados imediatos. Foi então que o Tableau veio nos ajudar com sua agilidade, seus resultados imediatos e sua facilidade de uso.

Daniel Galizi - Foto: reproduĆ§Ć£o
Daniel Galizi - Foto: reproduĆ§Ć£o

Tableau - Qual é a dimensão dos dados com o quais trabalham hoje?

Daniel - Começamos com o Tableau do zero, com licenças do Tableau Desktop, um computador embaixo da mesa e o Excel. Depois passamos para o SQL Server.

Isso foi muito bom, porque tivemos tempo para identificar nossas necessidades, escaloná-las e, o mais importante, criar uma cultura de dados em nosso departamento, o que foi muito importante. Hoje trabalhamos com algo em torno de 200 milhões de registros e com o SQL Server no datacenter. Mas sempre digo que é possível começar do zero, quase sem investimento.

Tableau - E como foi o início da implantação do Tableau?

Daniel - No início utilizávamos o Tableau por causa de nosso parceiro e a partir daí começamos a trabalhar em nossas próprias análises. Tínhamos apenas três pessoas na equipe e eu era quem desenvolvia tanto a parte de dados quanto o visual do Tableau. A partir daí outras áreas próximas da nossa começaram a ver e a se interessarem, e fomos expandindo aos poucos para essas outras áreas.

Tableau - Quantos departamentos mais ou menos utilizam o Tableau hoje?

Daniel - Hoje são quatro: nossos executivos, claro; a manutenção, o controle operacional e a diretoria de pilotos. Mas estamos com planos de expandir a utilização para outras áreas, para todos os tripulantes de voo da empresa. 

Tableau - Você poderia falar um pouco sobre o impacto do Tableau na sua empresa?

Daniel - Antes do Tableau, nossas reuniões eram muito morosas. Acabávamos, discutindo mais como fazer do que o que fazer realmente e na maioria das vezes, saíamos sem nenhum resultado. A aceleração que o Tableau trouxe para esse processo foi imediata.

Hoje, agora que já criamos uma cultura com o Tableau, a gente entra numa reunião e é tudo muito dinâmico, muito interativo. Já conseguimos mudar um filtro, incluir uma nova variável, e na maioria das vezes já saímos com o resultado pronto em questão de minutos.

Uma economia de tempo impressionante, tanto na parte visual quanto de dados. Normalmente, quando vamos preparar alguma base de dados, trabalhamos um pouquinho no Tableau para poder enxergar de uma maneira diferente esses dados, para visualizá-los, ter estatísticas básicas. Daí, partimos para solucionar a questão.

Tableau - Qual é a dimensão dos dados com o quais trabalham hoje?

Daniel - Começamos com o Tableau do zero, com licenças do Tableau Desktop, um computador embaixo da mesa e o Excel. Depois passamos para o SQL Server.

Isso foi muito bom, porque tivemos tempo para identificar nossas necessidades, escaloná-las e, o mais importante, criar uma cultura de dados em nosso departamento, o que foi muito importante. Hoje trabalhamos com algo em torno de 200 milhões de registros e com o SQL Server no datacenter. Mas sempre digo que é possível começar do zero, quase sem investimento.

Tableau - E como foi o início da implantação do Tableau?

Daniel - No início utilizávamos o Tableau por causa de nosso parceiro e a partir daí começamos a trabalhar em nossas próprias análises. Tínhamos apenas três pessoas na equipe e eu era quem desenvolvia tanto a parte de dados quanto o visual do Tableau. A partir daí outras áreas próximas da nossa começaram a ver e a se interessarem, e fomos expandindo aos poucos para essas outras áreas.

Tableau - Quantos departamentos mais ou menos utilizam o Tableau hoje?

Daniel - Hoje são quatro: nossos executivos, claro; a manutenção, o controle operacional e a diretoria de pilotos. Mas estamos com planos de expandir a utilização para outras áreas, para todos os tripulantes de voo da empresa. 

Tableau - Você poderia falar um pouco sobre o impacto do Tableau na sua empresa?

Daniel - Antes do Tableau, nossas reuniões eram muito morosas. Acabávamos, discutindo mais como fazer do que o que fazer realmente e na maioria das vezes, saíamos sem nenhum resultado. A aceleração que o Tableau trouxe para esse processo foi imediata.

Hoje, agora que já criamos uma cultura com o Tableau, a gente entra numa reunião e é tudo muito dinâmico, muito interativo. Já conseguimos mudar um filtro, incluir uma nova variável, e na maioria das vezes já saímos com o resultado pronto em questão de minutos.

Uma economia de tempo impressionante, tanto na parte visual quanto de dados. Normalmente, quando vamos preparar alguma base de dados, trabalhamos um pouquinho no Tableau para poder enxergar de uma maneira diferente esses dados, para visualizá-los, ter estatísticas básicas. Daí, partimos para solucionar a questão.

A Azul vive um importante momento de crescimento e se preocupar com seus dados foi fundamental para o sucesso - Foto: divulgaĆ§Ć£o
A Azul vive um importante momento de crescimento e se preocupar com seus dados foi fundamental para o sucesso - Foto: divulgaĆ§Ć£o

Tableau - Como o Tableau mudou sua rotina de trabalho?

Daniel - Com o Tableau conseguimos decidir, montar e colocar em produção, tudo, muito rapidamente. E isso é importante, pois em aviação tudo muda a toda hora e com o Tableau conseguimos acompanhar essas mudanças, mantendo o controle de tudo.

Tableau - E se você não tivesse Tableau, o que aconteceria?

Daniel - Continuaríamos trabalhando, claro, mas eu diria de maneira menos produtiva. Estaríamos trabalhando com nossas planilhas, com nossos gráficos totalmente limitados, sem interação nenhuma, e sem aquele algo a mais, sem o diferencial proporcionado pelo Tableau.

Tableau - O que você diria para alguém que está cogitando usar Tableau?

Daniel - Simplesmente comece. Começar é o segredo de tudo. Quando começar você vai sentir o poder que tem nas mãos, e você vai ter a liberdade para errar muito, consertar e acertar muito também. É muito fácil e a curva de aprendizado também é muito boa.

Tableau - Como o Tableau mudou sua rotina de trabalho?

Daniel - Com o Tableau conseguimos decidir, montar e colocar em produção, tudo, muito rapidamente. E isso é importante, pois em aviação tudo muda a toda hora e com o Tableau conseguimos acompanhar essas mudanças, mantendo o controle de tudo.

Tableau - E se você não tivesse Tableau, o que aconteceria?

Daniel - Continuaríamos trabalhando, claro, mas eu diria de maneira menos produtiva. Estaríamos trabalhando com nossas planilhas, com nossos gráficos totalmente limitados, sem interação nenhuma, e sem aquele algo a mais, sem o diferencial proporcionado pelo Tableau.

Tableau - O que você diria para alguém que está cogitando usar Tableau?

Daniel - Simplesmente comece. Começar é o segredo de tudo. Quando começar você vai sentir o poder que tem nas mãos, e você vai ter a liberdade para errar muito, consertar e acertar muito também. É muito fácil e a curva de aprendizado também é muito boa.

AviĆ£o da Azul Linhas AĆ©reas - Foto: divulgaĆ§Ć£o
AviĆ£o da Azul Linhas AĆ©reas - Foto: divulgaĆ§Ć£o

Tableau - Quais são os planos da Azul para o futuro do Tableau?

Daniel - Nossos planos são expandir o Tableau para os tripulantes. Assim, eles terão acesso a todos os gráficos. Estamos falando de cerca de mil pessoas inicialmente. Outros planos incluem ampliar as funcionalidades por meio de APIs e de dispositivos móveis (iPads, iPhones), especialmente para que os executivos possam participar das reuniões remotamente.

Tableau - Como o Tableau Server ajudou você a governar os dados?

Daniel - Nossa experiência com Tableau Server começou muito bem. A possibilidade de publicar os datasources para os departamentos traz uma facilidade muito grande. Com um know how que já temos, deixamos de ser consumidores e passamos a ser fornecedores de dados. Além disso, a possibilidade de você poder criar sites específicos para áreas, com fácil gerenciamento, nos permite ter o controle das funcionalidades e dos usuários de maneira muito simples, tudo integrado ao AD, o que para a gente é fundamental. É até uma questão de segurança da empresa.

Confira a entrevista também pelo site da Tableau.

Tableau - Quais são os planos da Azul para o futuro do Tableau?

Daniel - Nossos planos são expandir o Tableau para os tripulantes. Assim, eles terão acesso a todos os gráficos. Estamos falando de cerca de mil pessoas inicialmente. Outros planos incluem ampliar as funcionalidades por meio de APIs e de dispositivos móveis (iPads, iPhones), especialmente para que os executivos possam participar das reuniões remotamente.

Tableau - Como o Tableau Server ajudou você a governar os dados?

Daniel - Nossa experiência com Tableau Server começou muito bem. A possibilidade de publicar os datasources para os departamentos traz uma facilidade muito grande. Com um know how que já temos, deixamos de ser consumidores e passamos a ser fornecedores de dados. Além disso, a possibilidade de você poder criar sites específicos para áreas, com fácil gerenciamento, nos permite ter o controle das funcionalidades e dos usuários de maneira muito simples, tudo integrado ao AD, o que para a gente é fundamental. É até uma questão de segurança da empresa.

Confira a entrevista também pelo site da Tableau.

Compartilhe


Comentários